Constelações, enchentes, verões e invernos no Alto Rio Negro

  • Walmir Thomazi Cardoso PUC-SP/GHTC-USP

Resumen

No presente trabalho tratamos inicialmente do significado do emprego dos termos “verão” e “inverno” pelas comunidades do noroeste amazônico, em particular para os índios Tukano do médio rio Tiquié, na Amazônia brasileira. Para os habitantes da Amazônia e, em particular para as populações indígenas dessa região – como os Tukano, os Desãna e os Tuyuka, os invernos geralmente estão relacionados com períodos úmidos, chuvas e/ou elevações no nível do rio, enquanto os verões se referem aos períodos mais secos, com ausência de chuvas e/ou quando o nível do rio é menor. Esses termos assumem variados significados, dependendo da situação em que são empregados. Não é raro que as chuvas ocorram nas cabeceiras dos rios, distantes de onde se localiza determinada comunidade. A elevação no nível do rio não implica necessariamente em chuvas próximas. Outras vezes, as chuvas que ocorrem em áreas mais próximas, aumentam a umidade e os níveis dos rios se elevam. Em ambos os casos ocorrem invernos para aqueles que vivem nessa região.   Os períodos em que ocorrem elevações nos níveis do rio, ligados ou não com chuvas em áreas próximas (o que chamamos acima de invernos), por sua vez, foram associados com constelações astronômicas pelos Tukano e os períodos secos (que chamamos acima de verões) não apresentam relações diretas, aparentes, com as mesmas constelações, segundo nossas pesquisas iniciais.  Pesquisas realizadas entre 2005 e 2008 por Agentes Indígenas de Manejo Ambiental (AIMAS), coordenadas pelo Instituto Socioambiental (ISA), comparadas com resultados de nossas pesquisas iniciais, resultantes de oficinas de Astronomia Cultural, entre os anos de 2005 e 2007, mostraram que os verões possivelmente apresentam uma associação mais próxima com as constelações do que julgávamos inicialmente. As flutuações no nível do rio (repiquetes), indicam maior importância da relação entre verões e constelações, do que se considerava na primeira pesquisa realizada por nós. Essa mudança em nossa análise realça a importância atribuída pelos Tukano e demais povos do noroeste amazônico às constelações em seus calendários.

Palavras chave: Astronomia Cultural, Etnoastronomia, Calendários astronômicos indígenas, estações do ano, constelações.

Publicado
2020-05-15
Cómo citar
Cardoso, W. (2020). Constelações, enchentes, verões e invernos no Alto Rio Negro. Revista Cosmovisiones / Cosmovisões, 1(1), 122-137. Recuperado a partir de http://museo.fcaglp.unlp.edu.ar/ojs/index.php/Cosmovisiones/article/view/9

Artículos más leídos del mismo autor/a

Nota: Este módulo requiere de la activación de, al menos, un módulo de estadísticas/informes. Si los módulos de estadísticas proporcionan más de una métrica, selecciona una métrica principal en la página de configuración del sitio y/o en las páginas de propiedades de la revista.